Joi, o Cavaleiro Errante

domingo, agosto 23, 2009

(No meu quarto) Cachecóis e o Allstar novo

Por que ainda tanto?
O quê que falta?
E falta, mas falta tanto
Tanto que nada falta, mas falta.
Na verdade já foi a falta
já foi até a falta da falta
e até mesmo a falta da falta do que faltar
mas falta.
Malícias
Delícias
Carícias
(nessa ordem)
não falta!
Nem as notícias boas
nem os bons ouvidos!
Mas a falta – e só ela – é omnipresente
Muitas vezes é possível que eu mesmo falte
ou que falte eu.
Ao mesmo tempo, Eu é o que não falta
já estou farto de tanto tanto tanto Eu.
O Eu só e não só, mas só, ainda que não só eu.
Sempre só, com meu sapato novo
No meu quarto a falta se faz ouvir (música é o que não falta)
Por mais que eu a tente esconder, engavetando, camuflando
ela vem se mostrar (ela gosta de aparecer, a dona Falta)
Ou ela vem me estuprar ou vem vomitada
(esse tipo de vômito é o inverso proporcional a esse tipo de estupro)
De alguma forma ela esbarra por querer em cada letra
dentro ou fora

...

Eu podia ser “James Dean” só por hoje; e você a “Janis Joplin”, só que mais goodlookin'.
Seria legítmo ainda...
Seríamos dois Jotas!

5 comentários:

  1. Acompanhe a morte de Leandro Soares:
    http://romancefolhetimvirtual.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Pig Jooooi, é perigoso ser James Dean, hein!? Mesmo que por um dia...

    ResponderExcluir